A Y L A

Loading

Animais de estimação estão cada dia mais presentes nas famílias brasileiras. Segundo dados do IBGE de 2015, 44,3% das casas têm pelo menos um cachorro, número que excede o número de crianças de até 12 anos. Ou seja, se esse fosse um tweet, poderia-se dizer que no Brasil há mais cachorros que crianças! :O

Mas apesar de muitas pessoas adorarem bichinhos, na hora do aluguel isso pode ser um problema. Além dos proprietários, existem condomínios que vetam a presença de pets. Mas afinal, o que diz a lei? O que fazer para encontrar um lar perfeito para você e seu patudo – ou bicudo, felpudo? Acompanhe esse post e saiba como tornar essa missão uma tarefa mais fácil! 

POSSO ALUGAR COM MEU PET?

A Lei de Arrendamento Urbano (LAU) dá ao proprietário a possibilidade de proibir a presença de animais na casa arrendada. A LAU deixa nas mãos de ambas as partes, inquilino e proprietário, o poder de decidir sobre esse aspecto. No entanto, a lei fica do lado do proprietário e deixa a decisão de alugar (ou não) seu apartamento para alguém que tenha animais, ou por qualquer outro motivo, afinal o imóvel é de sua propriedade.

A CLÁUSULA QUE AMA ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO

Ao assinar um aluguel, verifique se o imóvel aceita animais de estimação. O contrato deve ter uma cláusula específica com o tipo de animal de estimação permitido e se o inquilino precisa de algum seguro para se responsabilizar pelos possíveis danos que possa causar à casa.

Se animais de estimação serem proibidos, o contrato deve especificar expressamente isso e, se essa cláusula for violada, o proprietário poderá solicitar ao inquilino que deixe a propriedade e encerre o aluguel. Se o contrato não especificar uma coisa ou outra, o inquilino poderá morar no apartamento alugado com seu animal de estimação. 

No caso de condomínios, é proibido proibir. (#Caetano) Ou seja, você pode sim ter seu animal de estimação, o máximo que podem fazer é criar regras de convívio, como por exemplo: não usar elevadores sociais ou áreas comuns como piscina, academia, etc; não atacar outros condôminos e nem latir a noite inteira, por exemplo. É questão de bom senso. 

¨Oi, alguém quer me proibir?¨

IMPORTANTE: QUEM INDICA

Geralmente, o maior medo dos proprietários é a respeito dos danos feitos no imóvel e das encrencas com a vizinhança. Por isso, deixe claro que você e seu pet são super cuidadosos! 

Você pode apresentar referências dos locais onde vocês moraram antes: sempre é bom ter o telefone de um ex vizinho que nunca se incomodou com a presença nem os ruídos do seu pet. Também peça que os donos de outras casas onde você morou escreva uma carta dizendo que seu pet era um ótimo inquilino e que nunca quebrou ou danificou nada (esperamos que assim seja!).

EVENTUAIS DANOS E SEGUROS

Se você está com dificuldades em convencer o proprietário de alugar para você e seu animal de estimação, o que pode resolver é inserir uma cláusula no contrato especificando que você se torna o responsável por qualquer prejuízo que o pet possa causar ao imóvel. Assim, se seu gato arranhar o sofá ou seu cão quebrar algum móvel despretensiosamente, o proprietário fica mais tranquilo por saber quem vai pagar a conta. Também existem seguros úteis:

  • Seguro residencial do locatário: esse tipo de seguro cobre possíveis danos aos móveis. A apólice também deve cobrir responsabilidade civil e, portanto, danos a terceiros também serão cobertos.
  • Seguro residencial do proprietário: este seguro não é específico para animais de estimação, todos os proprietários devem ter um. Danos nos móveis e responsabilidade civil estão cobertos.
  • Seguro para seu animal de estimação: parece estranho, mas é interessante que seu pet tenha seguro. Além de cobrir a visita ocasional ao veterinário, é possível que, além dos cuidados com a saúde, você também tenha responsabilidade civil por danos materiais ou a terceiros que ele possa causar.

SAÚDE DOS ANIMAIS

Outra preocupação de quem põe seu imóvel para alugar é a respeito da saúde do animal, já que também são transmissores de doenças se não forem bem cuidados. Um laudo de um veterinário e vacinas em dia também são sinais que seu animal não é daqueles que vai viver sem cuidados básicos de higiene, que também podem deteriorar o imóvel. Caso seu pet seja de alguma raça considerada potencialmente perigosa, como pit bulls, comprometa-se a estar sempre atado à guia e com focinheira quando em áreas comuns.

COMPANHEIROS DE CASA E CONVIVÊNCIA

Tente filtrar suas pesquisas e encontre colegas de quarto que gostem de animais, assim você evitará problemas. Com o tempo, eles podem até gostar de cuidar do seu animal de estimação em um fim de semana quando você não estiver lá, mas antes de endossar a responsabilidade de alguém, verifique o lugar e cuide do seu animal de forma responsável. 

¨Ela deve amar que eu sempre fico grudado nela¨

SOBRE O DIREITO DOS VIZINHOS

Como já dito, a vizinhança não pode proibir a presença de animais de estimação. Contudo, eles podem reclamar judicialmente se seu pet realizar ¨atividades que possam ser prejudiciais, irritantes, doentias, prejudiciais, perigosas ou ilegais para o condomínio”. Por isso: não deixe seu animal solto nas áreas comuns, cuide para que ele não danifique o jardim nem lata por horas, leve consigo a sacolinha do cocô (importante!), prefira usar o elevador de serviço ou carregá-lo no colo caso não houver. 

LOCALIZAÇÃO E TAMANHO DO IMÓVEL

Geralmente, proprietários de casas são mais flexíveis com animais de estimação. E se você tem um cachorro e procura um apartamento, que seja em um local próximo a espaços abertos onde seu melhor amigo possa correr. Deixe-o ofegante! Isso vai diminuir o desejo de brincar ao redor daquela estante de vidro e destruir as almofadas. Quando eles se cansam fora, dificilmente vão ter tanta energia para seus móveis.

Também leve em consideração o tamanho do espaço que comporta seus pets. Um gato pode adaptar-se melhor à uma quitinete que um cachorro de 30kg, por exemplo. Também ponha grade se morar no 8º andar e tenha em mente que eles precisam de comodidade, principalmente enquanto você estiver fora de casa. Seu bichinho tranquilo também é sinônimo de você tranquilo. 

¨Alguém disse: vamos sair?¨

NÃO MINTA PARA O PROPRIETÁRIO

Antes de tudo, vá com a verdade adiante: nem pense em esconder que você está se mudando com um pedaço de buldogue alemão.  No começo, pode até parecer que ninguém vai notar a presença do seu animalzinho… Ele já faz parte da família e você pensa em dar um jeitinho para alugar esse apê que parece ser perfeito. Mas mentira tem perna curta e vai ficar muito feio pra você quando ele souber da verdade.

Mesmo que o dono pareça intransigente e não esteja disposto a alugar o imóvel por causa de seu bichinho, não force a barra mentindo. Você pode ser honesto e mostrar que está disposto a manter a residência impecável. Use a força de um bom diálogo e desses conselhos aqui em cima!

Com essas dicas somadas à respeito e bom senso, vai ser mais fácil de negociar a presença de seu melhor amigo! Ainda bem que existem cada vez mais pessoas abertas aos animais de estimação. 🙂 Encontre aqui: https://app.useayla.com

No Comments

Leave a Comment